quarta-feira, março 28

Era uma vez, uma historia de amor 5#





Lourenço não respondeu a SMS, fez melhor do que isso, ligou a Maria, sem conversas longas anteriores, sem uma amizade de anos, simplesmente sabia que Maria precisava de algo e fez o que sabe fazer de melhor, tentou compreender, e ouviu, ouviu a história toda com atenção todos os pormenores, e no final aconselhou-a a seguir em frente, sabia que não iria ser nada fácil esquecer quase 3 anos de namoro, mas sabia também que o rapaz de olhos verdes não valia aquele sofrimento, porque quem brinca uma, duas vezes é perfeitamente capaz de brincar uma terceira.
Lourenço tinha um sentido de humor incrível e notava-se o tamanho do seu coração. No final de uma chamada onde existiram muitas lagrimas de Maria, esta acabou-a com uma dor compensatória nas bochechas de tanto se rir. No dia seguinte, Lourenço não demorou a perguntar se ela estava melhor, se precisava de alguma coisa, e quando o sol se pós novamente, sabia que o pensamento daquela menina ia ser difícil de controlar se estivesse sozinha, então voltou a ligar e sabem que mais? Ela voltou a chorar, mas riu, riu muito, porque ele a fazia esquecer do resto, com piadas parvas e historias algumas fruto da imaginação, outras não.
Ele em momento algum deixou de estar presente, mesmo quando Maria se afastava dele, afastava-se porque a presença de um ser do sexo masculino a perturbava, as vezes ele ligava-lhe e ela dizia que não queria falar, ele concordava mas não desligava, ficava ali, em silêncio, muitas vezes a ouvir os soluços de choro de Maria.
Passaram mais de dois meses, a amizade era linda e a confiança enorme, Lourenço começou a sentir algo mais por Maria, conhecia-a melhor que ninguém e ela fascinava-o, achava-a única e que vivia num Mundo que embora fosse muito próprio era perfeito, queria fazer parte dele mas não tinha coragem de avançar, sabia que podia perder aquela amizade irrepreensível que tinha com ela, saber o passado dela, saber o quanto o passado ainda mexia com ela, ouvir tantas vezes que não conseguia esquecer e seguir em frente… Já imaginaram o que é serem o porto de abrigo de uma pessoa por quem estão completamente apaixonados e terem que ouvir e sentir o sofrimento dela todos os dias, por causa de uma pessoa que esta a ocupar o seu coração? Chega a uma altura que não se aguenta mais, ou se confessa o que se sente e arriscasse a perder tudo, ou então…

14 comentários:

  1. mais um magnifica parte desta história, adorei :)

    ResponderEliminar
  2. Amei a historia, a apesar de nao estar completa prima*.*

    Axho que como os outros comentarios, me fixestes chorar....

    Quero que continuos a historia!


    Beijokas prima!
    Axx: Verónica

    ResponderEliminar
  3. esse é um sentimento completamente difícil. eu acho que não aguentaria e desistia...afastava-me. mas por outro lado, não queria deixar sozinha a pessoa que eu mais gostava. é difícil.
    CONTÍNUA RÁPIDO!!!

    ResponderEliminar
  4. Obrigada pelo convite, vou tirar um tempinho para participar (;

    ResponderEliminar
  5. adorei mesmo , estou a ler a história toda , e até agora, este foi o melhor 'capítulo' !

    ResponderEliminar
  6. É preciso gostar-se mesmo para ter tanta "paciência" para uma pessoa completamente apaixonada e magoada :) Grande amizade essa

    ResponderEliminar